Dica de presente: Dia das mães

O dia das mães está chegando e que tal dar livros para ela? Temos alguns da nosso catálogo que com certeza irão agradar as mamães!

Se a sua é dessas que adora uma boa literatura, então ela precisa ler nosso lançamento, Os Mambo Kings tocam canções de amor, de Oscar Hijuelos. Este livro já foi Livro do Ano pelo The New York Times, já venceu o Prêmio Pulitzer e já virou filme, tendo Antonio Banderas no papel do caçula Nestor Castillo. Trata-se da história de dois irmãos que saíram de Cuba em busca do sonho americano nos anos 1950, quando a música latina tomava conta dos bares de Nova York. Mas para ir atrás desse sonho, Nestor deixou na ilha cubana seu grande amor, Maria, a musa que inspirou o bolero de maior sucesso dos Mambo Kings. Costurando a narrativa e a cadência característica da música cubana, como o ritmo quente e a sensualidade, as cenas de sexo que permeiam toda a obra são descritas de forma clara e exuberante, mas sem deixar o lirismo de lado. Quer dar este livro de presente para ela? Então clique aqui.

Mas se você quiser dar um livro mais light, que tal a história da holandesa Franca Treur? Confetes na eira narra a vida de Katelijine, jovem doce e carismática que vive em uma Holanda remota, longe da agitada Amsterdam. Ela mora com seus pais e seis irmãos em uma fazenda, e tem a vida marcada pela religião e pelos questionamentos típicos de uma jovem. Essa belíssima história vendeu mais de 150 mil exemplares e tem personagens tão humanizados que parecem ser nossos antigos conhecidos. Clique aqui e saiba mais sobre este livro.

Agora, se a sua mãe prefere literatura nacional, Marcelo Candido oferece um romance que tem tudo para prende-la do começo ao fim. Eu não sei ter é a história de Justiniano, narrador-personagem que se vê obrigado a passar a limpo algumas décadas de sua amizade com Gregório e rever sua relação com Candida, esposa de um e amante de outro, após ficar sabendo do grave acidente que seu amigo sofreu. O livro trata de maneira clara o universo fragmentário dos seres, dos limites daquilo que conhecemos, e mostra que o todo sempre vira parte, e, com isso, precisa ser revisto. Com linguagem fluída e mordaz, o livro, que é ambientado na cidade de São Paulo, prende a atenção pela simplicidade e sinceridade. Para saber mais sobre essa história, clique aqui.

Para as mães que buscam melhorar a vida pessoal, Mario Alonso Puig é o nome da vez. Com seus dois best-sellers, Minha vez! e Reinventar-se, sua mãe irá desfrutar de uma leitura leve e agradável. Minha vez! é um livro que busca ordenar seu pensamento para tirar o máximo do que já está dentro de você, e também lhe dar novos conhecimentos e ideias que possibilitarão aumentar sua “autonomia de voo”. Para conhece-lo, clique aqui; o Reinventar-se procura levar o leitor em uma viagem a seu próprio interior, mas sempre tendo em mente que reinventar-se não significa transformar-se em algo diferente, mas sim chegar na sua verdadeira essência. Clique aqui e saiba mais sobre o livro.

Para aquelas que querem investir na vida profissional, os livros da professora de Stanford, Tina Seelig, são a melhor pedida: Se eu soubesse aos 20…, super indicado por diversos nomes do empreendedorismo, chegou a sua segunda edição recentemente. Trata-se de uma série de exemplos fascinantes que mostram pessoas encarando expectativas, enfrentando pressupostos e obtendo sucesso que pretende mostrar como buscar o impossível de forma saudável, independente da idade! Então não perca mais tempo e dê esse presentão para sua mãe, basta clicar aqui. Outro livro de Seelig é o InGenium, que mostra que a criatividade não é um talento inato, mas sim uma habilidade que pode ser desenvolvida por qualquer pessoa, tão natural como o ato de respirar e tão necessário para viabilizar uma vida equilibrada, saudável, bem sucedida e cheia de significado. Através do conceito de Máquina da Inovação, a autora desmistifica o fazer criativo e ajuda os leitores a explorar cada ponto da vida e da mente em busca de uma solução criativa. Para saber mais deste livro, clique aqui.

Para todos os tipos de mães, filhos e bolsos, você pode encontrar um presente bacana na nossa loja online, basta clicar aqui.

Desfile das campeãs

Como havíamos dito na semana passada, hoje é o dia de divulgarmos as fotos mais bacanas e o vencedor da promoção de carnaval. Recebemos várias fotos, inclusive pelo e-mail, mas como constava no regulamento, para validar a participação tinha alguns passos a seguir, e quem não cumpriu tudo o que foi pedido foi desconsiderado.

As pessoas foram bem criativa e postaram várias fotos bem legais, o que tornou a escolha ainda mais difícil, mas aí estão as quatro fotos mais legais. Lembrando que o livro vai apenas para o primeiro lugar. E os escolhidos foram:

Em quarto lugar, Guilherme Rodero, com seu olhar 43:

Em terceiro lugar, curtindo a festa com os amigos, Maria Lucia:

Em segundo lugar, com a clássica fantasia de bruxa, Marcia Gransoti:

E a grande campeã desse carnaval, com caracterização nota 10, foi a Geovana Cezare Pezzatto!

Parabéns, Geovana! O livro Confetes na Eira é todo seu! E parabéns a todos os participantes, pois recebemos diversas fotos legais e super criativas. E fiquem ligados pois em breve teremos mais promoções.

Confetes na eira no Meia Palavra

Clique na imagem acima para ler a resenha que o site Meia Palavra publicou sobre o livro da Franca Treur. Clique aqui se quiser comprar diretamente conosco a história que mostra uma Holanda diferente dos estereótipos que imaginamos e onde a religião tem algumas de suas amarras questionadas.

A literatura é um simulador da vida…

Amantes da literatura e profissionais do livro não podem deixar de ler a matéria do caderno Eu&Fim de semana de hoje. No artigo onde o trabalho do professor de literatura Jonathan Gottschall é destacado, há toda uma discussão se a literatura pode ou deve ser vista como uma ciência exata, mas o que achamos interessante mesmo é destacar um papel da literatura: a de servir de simulador de vida para quem a pratica, ou nas palavras do artigo: “Enquanto alguns acham que a capacidade narrativa do ser humano é nada mais que um grande acidente da evolução sem nenhum benefício ao seu processo, o professor defende que há um benefício evolutivo oculto que ajuda a própria humanidade a sobreviver. Para isso, a narrativa seguiria uma estrutura habitual de problema e solução. Como um simulador que ensina alguém a pilotar, a literatura permite que enfrentemos possíveis problemas e achemos a solução. Assim, é possível viver a experiência e até aprender com ela, mas sem correr os riscos.”

Não iremos entrar na discussão se ela contribui ativamente para a evolução humana. Acreditamos que mesmo se ela contribuir indiretamente, terá feito um tanto. Afinal, existem poucas coisas capazes de ensinar um ser humano a identificar seus sentimentos. Já sabe que temos alguns belos livros de literatura aqui, dá uma checada nos livros da Virgiliae, tem lá um homem buscando seu filho e depois esse filho na procura do pai (Um homem chamado Lobo), tem também um homem buscando se relacionar com as mulheres, mesmo que não tenha consciência disso (Eu não sei ter), tem uma menina buscando fugir dos rígidos limites que uma família religiosa impõem (Confetes na eira), ou uma turma de adolescentes buscando sua identidade sem ter certeza do exato lugar e das bordas que devem respeitar (Talvez não haja criança no céu). É literatura de excelente nível, e nos apostamos que escrita de forma capaz de prender você enquanto simula outra existência que pode estar mais perto do que imagina…

 

Evento Literário “Confetes na Eira” no Rio

Nesta quinta-feira, dia 26 de abril, acontecerá na PUC-Rio um debate literário com Fraca Treur, escritora holandesa autora de Confetes na Eira. O evento começa às 15h30 e terá participação de Cristiano Zwiesele do Amaral, o tradutor responsável pela edição brasileira do livro. O bate-papo será traduzido simultaneamente pelos alunos do Curso de Formação de Intérpretes da PUC e a entrada é gratuita.

Esse será o primeiro de três importantes eventos do qual Franca participará no Brasil para a divulgação do belíssimo romance.

Chocolate engorda…

Dar um ovo de páscoa é dar uns quilinhos a mais. Quanto mais gostoso o chocolate, maior o teor de gordura e açúcar. Para pessoas sensíveis, pode causar enxaqueca e irritações na pele e no estômago. Sem falar que contém três substâncias que podem causar dependência: a teobromina, a cafeína e a feniletiamina. Então, por que não inovar e dar livro de presente nesta Páscoa?

Livro tem várias vantagens: não aumenta a cinturinha, só o repertório de conhecimento. Livro não acaba, pode ser relido sempre. E a leitura de uma história bonita dá muito mais prazer do que se entupir de chocolate. Sem falar, que muitas vezes o livro é mais barato que o ovo.

Ok, a gente sabe que os ovos de Páscoa são tradição e todo mundo gosta. Então, pra não radicalizar, que tal ler um livro enquanto saboreia o seu?

Temos livros deliciosos!

O lançamento Confetes na Eira, da holandesa Franca Treur, é sobre uma adolescente que vive com os pais e seis irmãos em uma fazenda na Holanda, entre afazeres domésticos e os rígidos preceitos da Igreja Calvinista. Mas ela preserva em si o seu jeito único, doce e questionador do mundo, que faz com que você não queira mais largar o livro. De quebra, você já conhece o trabalho da autora, que virá ao Brasil no final de abril para participar da Flipoços (clique aqui) e do evento Livro ao Vivo, em São Paulo. (Para saber mais sobre o livro, folhear as primeiras páginas ou comprar, clique aqui).

Já os gateiros vão se deliciar com as histórias de Gatos Sortudos, o livro que relata as emocionantes histórias de bichanos resgatados pela ONG Adote um Gatinho. (Para saber mais sobre o livro, folhear as primeiras páginas ou comprar, clique aqui.) Você ou o seu podem ainda aproveitar o feriado para bancar o fotógrafo e participar do Concurso Gatos Sortudos e Letrados! Para saber mais sobre o concurso, clique aqui. E, por favor, não dê chocolate para o seu gatinho.

Essas são só algumas dicas. Acesse nosso catálogo e delicie-se.

E boa Páscoa.

 

 

Chegou! Confetes na eira está rumo às livrarias
O nosso tão aguardado lançamento do Virgiliae, Confetes na Eira, está pronto. Chegou lindo e promissor da gráfica e já está sendo distribuído. A autora, Franca Treur, vem para o Brasil no final de abril para participar da Flipoços – Festival Literário de Poços de Caldas – e de um evento em São Paulo. Mais detalhes serão publicados aqui em breve. Mas já dá para comprar e ler o livro para entender porque o romance da jovem escritora faz tanto sucesso. Para saber mais sobre o livro, ver o que já saiu na mídia ou comprar, clique aqui.
Franca Treur
Franca Treur (1979) nasceu e cresceu no estado da Zelândia, Holanda. Estudou holandês e teoria literária na Universidade de Leiden. Atualmente, escreve para o jornal holandês NRC Handelsblad. A publicação de seu romance de estreia, Confetes na Eira, é um sucesso sem precedentes em seu país, tornando-se o debut recorde de vendas desse século.
Confetes na Eira

[book id='31' /]

Entrevista com a holandesa Franca Treur, autora de Confetes na Eira, no G1
Franca Treur, escritora holandesa que é bestseller em seu país e lançará o romance Confetes na Eira no Brasil ainda este mês, foi entrevistada por Luciano Trigo para a coluna Máquina de Escrever, do G1. No bate-papo, Franca dá alguns indícios sobre como uma estreia literária como ela tornou-se fenômeno de vendas tão rapidamente. Na Holanda, já foram vendidos mais de 150 mil exemplares do livro. Para continuar a conversa, Franca chega ao Brasil no final de abril, quando participará da Flipoços e de um evento sobre sua obra em São Paulo. Para ver programação da Flipoços, clique aqui. Para receber mais informações e notícias sobre o lançamento do livro, clique aqui. Para ler a entrevista na íntegra, clique aqui. A
Entrevista sobre Confetes na Eira, de Franca Treur, no G1
Revelação da literatura holandesa, Franca Treur estará na Flipoços por Luciano Trigo “Até que ponto as fantasias de uma menina são inocentes? Katelijne, de 12 anos, vive com os pais e cinco irmãos homens numa fazenda em Zeeland, uma província costeira da Holanda. Questionadora, ela não se satisfaz com a rotina de afazeres domésticos e rígidos costumes religiosos. Para sua família, de protestantes ortodoxos, o único o da vida é servir a Deus e buscar a virtude, na esperança da salvação. Quando seu irmão é obrigado a se casar após engravidar a namorada, ela decide fazer confetes de papel para animar a cerimônia, mas nada sai como planejado. O enredo, simples e fragmentado em 12 episódios quase autônomos, é um pretexto para uma reflexão sobre as contradições do universo rural e religioso da pequena Zeeland…”
Confetes na Eira no Estadão (Sabático)
Paisagem feita de mentiras Ficção salva a protagonista de Confetes na Eira, que lança a holandesa Franca Treur por Manoela Sawitzki “Raras vezes surgem notícias sobre estreias literárias logo convertidas em fenômenos comerciais. A holandesa Franca Treur, com cerca de 150 mil exemplares do romance Confetes na Eira vendidos em seu país, conseguiu, aos 32 anos, tornar-se um desses casos excepcionais. A obra chega ao Brasil pela também jovem Livros de Safra, que promete revelar outros talentos contemporâneos dos Países Baixos…”
Página (Page) 1 - 212
© Livros do Safra. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Carranca Design.
highslide wordpress